O ritual da comida

Essa é a saga que se repete, de 3 em 3 horas aqui em casa.

Preparando o pápápá. Brinquedos pra entreter o Dudu enquanto ele espera ansioso:Primeira colherada. Com fome de um devorador!

Humm.. gostei!

De paladar indeciso..

Dá essa comida aqui!!!

Uau! Um arroz.

Uau!!! Mais arroz ainda aqui dentro!!!!

Humm!
Ah, não me arrependo e nem sinto falta de cadeirão! Esse é da safety 1st e eu amo. Vira uma maletinha sempre levo comigo. Ele tá super acostumado a comer na mesa junto com a gente, fica esperando a gente terminar sentadinho! Além de economizar um mega espaço aqui em casa. Porque o que mais tem aqui é quinquilharia de bebê. Fica a dica!!!

 

Anúncios

Próxima compra: DVD Portátil

Tá aí uma coisa que nunca tinha dado muita bola, o tal do DVD portátil. Achava que iPhone e iPad dariam conta do recado com a Galinha Pintadinha e outros clipes direto do YouTube, mas depender do 3g da TIM ou WiFi dos lugares não tem sido muito legal.

Adorei este modelo, que dobra e não deixa o Dudu ficar com os dedinhos nos botões.

Será nosso companheiro fiel na próxima viagem!

Germes do bem!

Sabem aquela velha história de que deixar o bebê brincando na sujeira ajuda a criar anticorpos? É verdade!

Sempre que o Dudu enfia algo suspeito na boca, ou quando, como num passe de mágica, resolve degustar minhas havaianas (tem paixão por comer sapatos), a primeira palavra que eu falo é: “Anticorpos!”. Mas eu tiro dele depois, quero deixar bem claro que não alimento meu filho com solados de borracha.

O excesso de limpeza com os bebês pode fazer com que eles tenham mais facilidade de desenvolver doenças inflamatórias. Antes que me atirem pedras, quem disse isso foi o núcleo de pesquisas médicas de Harvard, com artigo publicado na Folha de SP. Agora todo mundo acredita, né?

O experimento logicamente não foi testado em crianças, até mesmo porque só a desalmada da Carminha toparia! noveleira

Conclusão: A presença de micróbios parece ensinar o sistema de defesa do organismo a se comportar de forma moderada, evitando doenças inflamatórias. Ah, e o mais importante: a exposição dos micróbios na fase adulta não reverte o quadro das doenças inflamatórias, a maioria delas crônicas. O que importa é na infância mesmo!

Bora jogar os filhos na lama e dá um chega pra lá na Neura!

Quem quiser o artigo na íntegra (recomendo muito): Clique AQUI