Nós e a cama compartilhada!

Eu costumo dizer que o ócio é um dos “problemas” da gravidez. Pelo menos na reta final, que é quando a gente foca na chegada do bebê e esquece de todo o resto! É aí que buscamos ainda mais informações sobre como agir com nossos filhos recém nascidos e imaginamos que vamos conseguir fazer tudo aquilo que a gente sai lendo por aí e acha legal. O que mais me preocupava e até tempo atrás me preocupou, era sobre como educar e treinar o bebê a dormir sozinho. Eu tinha CERTEZA absoluta que seria do tipo durona, que lugar de bebê dormir é no berço, e que ceder aos caprichos de um bebê era coisa de mãe frouxa.

Até os 5 meses não tive nenhuma dificuldade com isso, porque o Dudu não chorava por dormir no berço sozinho, ele ficava bem lá, só chorava pra comer e adormecia bem, sem colo nem embalinho de ninguém. E eu me achava uma ótima e perfeita mãe por conseguir isso! Até que um belo dia ele começou a ficar mais dependente da gente, de carinho, do toque, precisava ver que estávamos ali com ele. Começou a acordar muitas vezes na noite. Chorava, a gente aparecia, ficava plantado ali do lado dele, fazia um carinho, isso por 5 a 10 minutos até ele adormecer novamente, algumas vezes na noite.

Foi aí que comecei a me perguntar se o que eu estava fazendo estava certo. Quando colocava ele na cama com a gente no início da manhã (entre 5 e 6hs) ele dormia tranquilamente até umas 8:30, e quando não colocava, 6:30 no máximo a criaturinha estava de pé, tocando o terror!

De lá pra cá tem sido assim, no meio na madrugada/início da manhã, temos colocado ele pra dormir com a gente. No início me sentia uma “frouxona”, mas depois eu fui percebendo que se aquilo faz bem pra ele, pro sono dele, e pro nosso sono, quem é a Super Nanny que vai me dizer que eu estou errada?

Ultimamente desencanei de toda essa cobrança por ser uma mãe perfeita, ou pelo menos que se adeque a esses conceitos de mãe perfeita criados por sei lá quem. Cada família é de um jeito, de uma criação diferente. Se não somos iguais, não podemos achar que existe um manual de instruções para nós, mães, agirmos com nossos filhos. Faço aquilo que eu sinto estar certo, só que dessa vez, consegui abstrair a culpa! E foi-se embora um peso grande das costas. Ufa.

Anúncios

A nova funchicórea

Vi muitas mães se perguntando o que fazer sem a tal da funchicórea. Eu nunca usei muito, tinha um potinho que duraria até o infinito e além, mas ele virou! Senti falta quando descobri que não tinha mais pra comprar.

Não usava com a finalidade de acalmar, era só uma pontinha na chupeta pra ele pegar nela, às vezes quando ele queria dormir e chorava de sono, mas rejeitava o bico, era aí que a funchicórea entrava em ação! Ele finalmente pegava a chupeta e dormia na horinha!

Enfim, lançaram a FunchoBaby, que nada mais é do que a funchicórea sem a sacarose. A sacarina entrou no lugar, que é facilmente eliminada pelo corpo.

Fica a dica pras mães desesperadas!

 

Frases inspiradoras – e desanimadoras.

Algumas verdades sobre o que é ter filhos.

As frases estão em inglês e, como ninguém tem obrigação de saber, coloquei a tradução em cada uma.

Pessoas que dizem que dormem feito os bebês, geralmente não tem um.

Um bebê torna o seu amor mais forte, os dias mais curtos, noites mais longas, diminui sua conta bancária, faz sua casa mais feliz, deixa suas roupas mais velhas, faz o passado ser esquecido e faz o futuro valer a pena.

Crianças precisam de amor, especialmente quando elas não merecem.

Um bebê preenche um local em seu coração que você nunca soube estar vazio.

Faça aquilo que você sente que é certo, pois você receberá criticas de qualquer forma.

Se o seu bebê é perfeito, nunca chora, dorme no horário e arrota sempre que precisa e é um anjo o tempo todo – você é a avó.

Tomar a decisão de ter um bebê é algo que se faz por um momento. É decidir ter para sempre seu coração, andando por aí, fora de seu corpo.

Bebês sempre são mais complicados do que você imaginava – e mais maravilhosos.

Fonte: Preagnant Chicken

É tudo culpa dele!

Coisa boa é ter sempre uma justificativa na ponta da língua pros nossos problemas. Melhor ainda quando achamos, não só uma justificativa, mas um culpado!

E quando a gente descobre 20 culpados? O Dudu ainda tem 14 desculpas pra noites mal dormidas, mau humor e febre. O pediatra já me disse que é mito, mas eu confesso que às vezes prefiro acreditar que uma febrezinha sem explicação é o bendito dente nascendo.  E aquela birra que vem do além, sem mais nem menos?

Sempre tem alguém que pergunta “mas o que será que ele tem?”, achando que porque sou mãe tenho o poder de ler a mente do Eduardo. Pra esses que esperam sempre uma resposta, tenho essa na ponta da língua: É culpa do dente!

Poupar explicações quando o nosso tempo é corrido: não tem preço.

 

Ser mãe NÃO é maravilhoso!

Dormir tarde todos os dias com hora pra acordar. Acordar todas as noites sem hora pra voltar a dormir. Mil refeições interrompidas. Festas e eventos perdidos. Cabelo mal cuidado, unhas por fazer, olheiras fundas. Dificuldade imensa de voltar ao peso normal. Toneladas de roupas sujas por dia. Galinha Pintadinha ao invés de Avenida Brasil. Não conseguir tomar banho e ir ao banheiro na hora que bem entender. Estar em segundo plano na sua própria vida.

Oferecer de 6 a 7 refeições de 30 minutos por dia. 8 a 10 trocas de fralda de 8min cada. 1 banho de meia hora (só aí fecharam 5 horas e meia). Trocar de roupa, brincar, contar história, estimular, distrair, ensinar, educar. Levar pra ver bichos, mato, areia. Levar jatos de xixi. Aguentar choro, birra e manha. Correr atrás. Correr atrás. Correr atrás.

Ter duas opções: uma casa organizada não que te permite viver a vida ou viver desencanada em uma bagunça (isso que tenho personal colega, e quem não tem??) Não ter objetos de decoração abaixo de um metro de altura. Passar o dia sem desligar um segundo.

Depois de 10 meses, concluí que ser mãe não é maravilhoso. Sinto muito se eu frustrei você. Talvez você possa ter lido na Caras, sobre o quão fácil e delicioso é ter um filho e como todas as famílias são lindas e perfeitas, e como os bebês das revistas não fazem cocô fedido, e como as mães tem tempo pra tudo e são supermulheres. .. Alô? Planeta Terra chamando!

Repito. Ser mãe não é maravilhoso. Maravilhoso é o amor imenso e fora do normal, que me leva fazer TUDO isso – com disposição e boa vontade – e me faz sentir o ser mais feliz e completo do mundo. O que eu ganho em troca? Sorrisos, gargalhadas e a oportunidade emocionante de acompanhar sua evolução. Parece pouco perante o trabalho que dá. Mas quem é mãe, só que é mãe, sabe que esse é o amor na sua forma mais simples e verdadeira. Que preenche tudo e me faz dar um sorriso, todas as manhãs, ao acordar e ver a pessoa mais importante da minha vida.

Resultado do sorteio do Kit Enxoval

Chegou a grande hora de divulgar nossa vencedora!

Antes de tudo, quero dizer que fiquei muito surpresa e feliz com a quantidade de pessoas que concorreram e divulgaram nossa promoção. Foram 1.324 participantes!

Obrigada a todas que participaram e acompanham o blog desde o início e às que passam a acompanhar todos os dias. Ele só está aqui por causa do retorno que recebo de vocês!

Agora chegou a hora!!!! O sorteio foi feito pelo sorteador.com.br, um sistema que gera um número aleatório. Esse número correspondeu ao número do comentário da nossa vencedora!

A sortuda: Viviane Azevedo

PARABÉNS pra você e pro mini felizardo(a) que vai levar todas essas peças lindas pra casa!

Beijos!!

Chupetas personalizadas

Bisbilhotando por aí, descobri uma solução bem legal para o fim do troca-troca de chupetas entre as crianças, principalmente quando entram na escolinha.

Encontrei a Chupetas Com Nome, que como o nome já diz, vende chupetas personalizadas.

Fiz até uma simulação com o nome do Dudu! O preço pra 3 chupetas com a taxa de entrega pro Brasil (o site é de Portugal) é de aproximadamente R$60.

E aí? Será que vale a pena?

Alguém conhece esse serviço aqui no Brasil?

 

Produtos que o Dudu usa

Meninas,

Resolvi mostrar hoje os produtos que eu uso no dia a dia do Dudu. Já testei muitos, mas essas são as minhas marcas favoritas. Abaixo comento sobre cada um deles.

Pomada de assaduras Desitin: Tenho a azul pro dia a dia, tem um cheirinho ótimo. Nada a ver com aquele aroma de peixe conhecido entre as pomadinhas, hehe. Uso a roxa quando ele está com a pele mais sensível, essa sim tem um cheiro um pouco marcante, mas é ótima e protege muito. Ah, o potão dura uns 4 meses!

Lenços umedecidos Johnsons baby: Só uso esse ou o Huggies Turma da Mônica.

Shampoo e Sabonete Turma da Mônica: Tem o melhor cheirinho de bebê. De vez em quando compro Johnsons, mas o da Mônica é muito mais cheiroso (e o cheirinho fica) e geralmente mais barato.

Rinosoro infantil: Como o Dudu tem rinite eu sempre lavo o nariz dele com esse produto. Antes eu usava o de conta gotas, mas agora que ele esta maiorzinho uso o spray e acho mais confortável pra ele.

Talco em creme Mamãe e Bebê: Minha mais nova descoberta, adorei. Troquei pelo talco líquido. Passo atrás do pescoço pra não assar.

Perfumes: Burberry Baby Touch, Turma da Mônica e Mamãe e Bebê. Ultimamente tô viciada no Mamãe e Bebê. O Dudu sempre tá cheiroso!

Ah, ia esquecendo de falar das fraldas! Durante o dia uso a Pampers Total Confort e pra noite uso a Pampers Diurna e Noturna, essa última é muito boa, dá pra usar só ela!

É isso!

Beijinhos e até o próximo post.