Bia, a mãe abençoada.

Desde que o pequeno nasceu, cheguei a uma óbvia conclusão: essa história de “justiça divina” é balela. Digo isso pelo medo que a Bia sentia do Dudu ser parecido com ela – no jeito, não na aparência. Claro, ele tem um mês apenas, e não dá pra ter certeza de nada, mas ao que tudo vem demonstrando, essa criança é um anjo (BEM diferente da mãe).

Ninguém tem mais propriedade pra falar disso do que eu, nem mesmo meus pais, que viveram na pele a experiência de criar um pequeno monstrinho.

Explico: ao rever uma professora da infância, que deu aulas pra ela e pra mim, o comentário foi “nossa, Bruna, tu era uma criança muito calma, mas a tua irmã, MEU DEUS DO CÉU, ela se ajeitou na vida?” Felizmente, sim. Se ajeitou e muito bem, mas até isso acontecer, eu sofri. Sofri pressões físicas e, principalmente, psicológicas, de uma criança que tinha a sagacidade até de inventar a “Fada da Bia”, algo como um espírito bom que descia sobre ela quando ela precisava que eu fizesse algum favor. Eu, ingênua como sempre, ficava emocionada em ver aquele ser me tratar tão bem, quando há meia hora tinha me dado uma surra ou feito algum tipo de chantagem emocional.

O meu maior problema é que eu nunca fui a irmã mais nova que cresceu e se vingou. Até hoje, sou 15 centímetros menor que ela, ou seja: eu me ferrei a vida inteira. E mesmo assim ela conseguia me deixar com pena quando, depois de me bater por 10 minutos, eu dava um tapinha de nada e ela se jogava no chão “chorando”. Sim, gente, essa é a mãe Bia que vocês presenciam neste blog hoje. Felizmente muito diferente, sem precisar de nenhum tipo de exorcismo nem nada do gênero.

Outros acontecimentos foram mais engraçados, como a vez que ela roubou tubos de cola do almoxarifado do colégio – COM TRÊS ANOS DE IDADE – ou quando ela levou o hamster para a igreja – e obviamente soltou ele lá dentro. Ela também sempre foi o “cérebro” das gangues que ela formava com as amigas, dando sempre ideias de brincadeiras saudáveis e sadias, como colocar jabuticaba dentro do sapato dos outros. Verdade seja dita, ela nunca se divertiu brincando de barbie (e, quando brincava, sempre tinha alguma trama interessante, como roubar marido da outra e por aí vai).

Em suma, dá pra dizer que a bia foi uma criança no mínimo interessante. Claro que o Eduardo ainda vai dar muito trabalho pra essa mãe, mas pelo andar da carruagem, ele veio mais pro lado do pai, mesmo. Até porque, pra ser que nem a Bia, tem que batalhar MUITO.

Anúncios

10 respostas em “Bia, a mãe abençoada.

  1. Pode ser que o Eduardo não demonstre a genética maternal até ter um irmão(ã)! 😀
    Você escreve muito bem, sempre estou passando por aqui! parabéns!
    Beijos

  2. E eu me lembro bem dessa traquinagens todas. Eu nem era tão malvada com a Camila, mas quando tava com a Bia… lembra quando vocês foram comprar chocolate depois de perder um jogo de baralho? Ou como ela imitou a vó Lola depois do tombo? Tomara que o Dudu não tenha esses genes!

  3. Tramas da Bia…..muitas delas estava presente……saudades de vocês e de nossa infância agitada….. Muita Luz para vocês, e que o Dudu não puxe muito a mãe!!!!!
    beijinhosssss

  4. Obrigada irmã por acabar com a imagem de pessoa centrada que algumas pessoas deveriam ter de mim! hahaa perdi a credibilidade! Beijos e o Duduzinho vai achar que a mami dele foi um anjo.

  5. Hahahahahahahah que post é esse?????????? Destruiu a proprietária do blog.. ‘depois de me bater por 10 minutos” hahahhaha
    aiiiiiii me deu muuuita nostalgia ver essa foto!! Esse quarto da Bia é lendário!! A cadeira da escrivaninha, a colcha, a cortina! Tudo!!! Me lembro até da vista da janela! QUE SAUDADEEEEEEEE!!!!!!! Eu torço pro Dudu ter o genio da Bia sim, pq aí eu vou ter certeza que um dia ele vai ser uma pessoa maravilhosa!!!!!!!!!! E até esse dia chegar a Bia vai ver o que a tia Cléa passou hahahahahahah ela era uma pentelha mas que era bonitinha era!!!!!!
    Amo vcs!!!

  6. Rindo mtu akiii!!! Mas q eh uma benção esse Dudu, isso é!!!
    Tomara q continue assim, ne?!
    Certamente a titia Bruna tbm agradece!
    Bjus pras duas!!!

  7. ahahahahahahahahaa, adorei!!! adorei! morri de rir !! OBS: Hoje ela nao é mais assim tão atentada, ela é a “DIVERTIDA”, segundo ela própria se define.
    (rsrsrsrsrsrsrs)

  8. Falto a historia que ela dançi ou tento ensina os militares dança o tha no exercito rsrsr
    mais ela sempre foi minha sobrinha amada
    te amo
    vivi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s